.:GESE:.: Agosto 2013

Adicionado 13/07/2012

sábado, 31 de agosto de 2013

"MÃOS QUE CRIAM" PROJETO DE RESSOCIALIZAÇÃO DE PRESIDIÁRIAS EM CRICIÚMA (SC)

Proporcionar um espaço para o desenvolvimento pessoal e profissional, promovendo a qualidade de vida e perspectivas de futuro durante o cumprimento de pena. Com esse objetivo, a Vara Federal Criminal e de Execuções Fiscais e Juizado Especial Federal Criminal da Subseção Judiciária de Criciúma (SC) vem desenvolvendo o projeto social “Mãos que Criam”.

Criado a partir de um convênio entre a Vara Federal e a Universidade do Extremo Sul de Santa Catarina (UNESC), o projeto “Mãos que Criam” foi uma iniciativa do juiz federal Marcelo Cardozo da Silva, ex-titular da vara. Atualmente, é coordenado pelo juiz federal titular Germano Alberton Junior e pelo juiz substituto Daniel Raupp, com a responsabilidade técnica da psicóloga Edilene Colonetti de Souza.

A ação promove a ressocialização de apenadas do Presídio Santa Augusta, na cidade de Criciúma. Elas confeccionam e comercializam produtos artesanais. As participantes são capacitadas profissionalmente, aprendendo técnicas artísticas como o “patchwork”, para a produção de artesanatos. O material é vendido em uma loja do comércio local e no shopping da cidade, numa parceria com a iniciativa privada.

Ressocialização

De acordo com o juiz Daniel Raupp, a receita obtida com a venda dos produtos é utilizada para compra do material usado nas oficinas de artesanato. O montante restante é repartido entre as apenadas do projeto. Ele também destaca que a participação pode reduzir o tempo de pena. “A remição da pena é decidida pelo juiz da execução. A lei determina que a contagem seja feita na proporção de um dia reduzido para cada três dias de trabalho”, esclarece. 


O “Mãos que Criam” dispõe de 25 vagas para presas no regime fechado e semiaberto. As participantes são selecionadas pela direção do presídio de acordo com o interesse que manifestam e com o bom comportamento que apresentam. Desde o início do projeto, 86 mulheres já foram beneficiadas. Também há a previsão de, futuramente, ampliar o número de vagas para 30.

Raupp também explica que outro aspecto importante da ação é disponibilizar um acompanhamento psicológico posterior para as participantes do regime semiaberto. Hoje, existem seis apenadas nessa condição.

Para o juiz federal Germano Alberton, a avaliação do projeto é bastante positiva. “A atividade desempenhada pelas apenadas está, de fato, colaborando para que elas tenham uma oportunidade real de reinserção na sociedade quando deixarem o presídio. Esse é o principal benefício que o “Mãos que Criam” tem proporcionado”, analisa.

Já o magistrado Daniel Raupp salienta que “além de auxiliar na ressocialização e oportunizar a capacitação profissional, a iniciativa também favorece o bom convívio no cárcere”.

O projeto social foi apresentado ao desembargador federal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) Joel Ilan Paciornik, então vice-corregedor regional da Justiça Federal da Região Sul, em visita à Vara de Criciúma.


Ora , o que planta e o que rega são um ; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho.                               1 CORINTIOS 3/8

TORTURA DENTRO DOS PRESÍDIOS BRASILEIROS.

Em um país onde mais de meio milhão de pessoas estão encarceradas - 40% delas ainda à espera de julgamento – a dimensão exata da prática de tortura, seja ela física, coercitiva ou verbal, é ainda uma incógnita aos grupos de direitos humanos. Uma das razões é o fato de que, em boa parte dos estados, os presídios são lugares inacessíveis à atuação das entidades de direitos humanos, apesar das séries de denúncias de violações contra o Brasil na Organização dos Estados Americanos (OEA) em razão da situação precária do sistema prisional.

“Ao longo dos últimos 20 anos nós ultrapassamos todos os limites em termos de encarceramento no Brasil", diz a ministra dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, em entrevista a CartaCapital.

A ministra está prestes a assumir a presidência do Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, órgão criado a partir de uma lei sancionada em agosto que prevê a fiscalização permanente dos presídios no País. O comitê será composto por 23 integrantes, escolhidos pela presidenta Dilma Rousseff entre representantes do Executivo e da sociedade civil.


O grupo orientará o trabalho de 11 peritos que, a partir de agora, terão livre acesso, sem necessidade de aviso prévio, a centros de detenção, estabelecimentos penais, hospitais psiquiátricos, instituições de longa permanência para idosos, instituições socioeducativas para adolescentes e centros militares de detenção disciplinar. A instalação do sistema faz parte de um compromisso assumido em 2006 pelo País com a ONU.

Rosário aposta que, com as visitas dos peritos, os casos de tortura, que hoje só ganham visibilidade tempos depois de denunciados, seriam coibidos. Ela cita o caso recente de agressão praticada contra internos da Fundação Casa, em São Paulo, que só foi apurada após reportagem do Fantástico.


"Muitas pessoas fazem denúncias, mas elas não sabem como coletar uma prova. Os técnicos peritos fazem todo o procedimento para que as provas tenham um valor jurídico", afirma.

O desafio, a longo prazo, é mensurar os casos de tortura e obter punição “exemplar” aos agentes públicos. O sistema, afirma a ministra, permitirá a constituição de uma base de dados com informações detalhadas a respeito dessas instituições hoje fechadas.

Apesar de ser considerado um avanço, o projeto é visto com ressalvas por grupos de direitos humanos ouvidos pela reportagem. Segundo Carlos Gilberto Pereira, conselheiro do Movimento Nacional dos Direitos Humanos, a nova lei será inócua enquanto não houver pressão da opinião pública para obrigar as instituições a abrirem as portas para a fiscalização. “Primeiro, é preciso tirar a tortura da clandestinidade”, diz Pereira. Segundo ele, a sociedade brasileira ainda não assumiu que a tortura existe e é prática institucionalizada em algumas instâncias. "A Justiça faz relatórios, a Anistia sempre faz relatórios. Só fazer relatório é constatar o óbvio."


O estudante de Direito Felipe Napolitano Marotta e membro do Portal do Cárcere Cidadão, faz campanha pelo cárcere humanizado, pede atenção sobre o trabalho dos comitês estaduais, que, segundo a lei, devem atuar em parceria com a secretaria. “Os diretores de presídio tem relação com o poder estadual. Então, se o conselho também tiver a mesma relação ao mesmo poder, talvez se crie um contexto onde é mais difícil impedir a atuação dos peritos”. Ele critica também o número de peritos que serão responsáveis pelos trabalhos. “O número de peritos que temos atualmente é muito reduzido. É um entrave. Primeiro, pelo número de presos. Nomear 11 pessoas é muito pouco.”

A regra de atuação dos órgãos estaduais será definida em um decreto que será exposto à presidenta Dilma Rousseff até o final deste ano. Os comitês devem começar a atuar em seguida. Segundo Maria do Rosário, o objetivo é que, a longo prazo, o país consiga mudar a mentalidade de que a segregação, a partir do cárcere, é o único caminho para a responsabilização do crime. "O Sistema Nacional de Combate à Tortura é um passo nessa direção”, finaliza.

Fonte: Carta Capital

... E DESCERAM A JEREMIAS COM CORDAS ; MAS NA CISTERNA NÃO HAVIA ÁGUA , SENÃO LAMA E ATOLOU-SE JEREMIAS NA LAMA.                                           Jeremias 38 /6

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

1° CONFRATERNIZAÇÃO DE EX-PRESIDIÁRIOS DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA .

ORE , DIVULGUE PARTICIPE!!
Presidio Feminino.
Batismos.
Reforma da capela.
Cursos de lingua espanhola.
Aconselhamento.
Transformação.
Ceia.
Evangelismo de menores infratores. 

PORQUE O FILHO DO HOMEM VEIO SALVAR O QUE SE TINHA PERDIDO.
Mateus 18/11

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

PEP 1, PIRAQUARA- PR.:ESTA SEMANA ORAREMOS POR ESTE PRESÍDIO, E OS 700 DETENTOS QUE ESTÃO CUMPRINDO PENA!!

Penitenciária Estadual de Piraquara - PEP I

Inaugurada em 16 de abril de 2002.

Avenida das Palmeiras, s/n
Fone: (41) 3589-8500 - Fax: (41) 3676-5111                                  - E-mail: pep@depen.pr.gov.br
83301-970 - Piraquara - Paraná - Brasil

Diretor: Lucio Olider Micheline
Vice-Diretor: Wilian Aparecido Oliveira


História e Competências

Penitenciária Estadual de Piraquara - PEP foi mais um importante passo na ampliação e modernização de todo o Sistema Penitenciário do Paraná. A PEP é uma penitenciária de segurança máxima, com capacidade para 723 presos condenados.

Com 169 celas, tem 12.800m² de área construída e um espaço para horta com 7.500m². O investimento foi de R$ 8,5 milhões, sendo 80% provenientes do Ministério da Justiça e 20% do Estado do Paraná.

O projeto arquitetônico da penitenciária, que conta com três túneis de acesso, foi elaborado para que os presos e as visitas não conheçam a estrutura da unidade. O preso não consegue ter noção do movimento na prisão ou do trabalho dos funcionários, o que dificulta estratégias de fuga ou rebeliões.

A penitenciária foi dividida em módulos, como setor administrativo; bloco de serviços, incluindo lavanderia e refeitório; tratamento penal; ensino; vestiário da guarda; canteiros de trabalho. Além disso, foram construídos dois blocos para visita de familiares e mais dois para visitas intimas, com vinte quartos e oito pavilhões de carceragem, cada um com pátio individual para os presos tomarem sol.



Competências



Todo preso, ao ingressar na unidade, recebe um kit, contendo uniformes, kit-higiene, tênis e sandália.
















Estrutura Física

  •  Área do terreno: 72.000m²
  • Área construída: 12.800m²
  • Área para horta: 7.500m²
  • Capacidade de: 723 presos
  • Celas: 143

Diretores
Período
José Guilherme Assis
02/2002 a 02/2003
Flavio Lopes Buchmann
02/2003 a 10/2006
Aclinio José do Amaral
10/2006 a 17/09/2007
José Guilherme Assis
17/09/2007 a 18/09/2008
Flávio Lopes Buchmann
18/09/2008 a 09/08/2011
José Luis Silva Ribas
09/08/2011 a 04/05/2012
Lucio Olider Micheline04/05/2012


  • LEMBRAI-VOS DOS PRESOS...... Hebreus 13/3

domingo, 25 de agosto de 2013

CENSE (CENTROS DE SOCIOEDUCAÇÃO) PARA MENORES INFRATORES NO PARANÁ: ENDEREÇOS E FONES.

Centros de Socioeducação



Cense Campo Mourão
Diretor: Luciano Jorge
Assistente: Graziela Cristina Nascimento
Tel.: 44 -3525-3645
Rua: José Tadeu Nunes, 412 – Jardim N S Aparecida - Cep: 87.309 -295
Cense Cascavel 1
Diretor: Ricardo José Deves
Assistente: Marlos Alexandre Favreto
Tel.: 45 – 3327-7200
Avenida Brasil, 8962 – Cep: 85.801 - 000
Cense Cascavel 2
Diretora: Suzana Segala Menegaz
Assistente: Leonardo Davi Vergara Dietrich
Tel.: 45 – 3328-1766 / 3227-5541
Rua: Emílio Garrastazu Médici, 1111 – Cep: 85.818 - 110
Cense Curitiba
Diretor: Vinício Oscar Kirchner
Assistente: Luzimara De Fátima Rodrigues Da Silva
Tel.: 041 - 3366-3443
Rua: Pastor Manoel V. De Souza, 1310 – Cep: 82.810 - 140
Cense Fazenda Rio Grande
Diretor: Celia Braga Figueiredo Fayzano
Assistente: Andre Rodrigues De Lima
Tel.: 41 – 3604-8763 / 3604-0595
Rua: Manoel Claudino Barbosa, 1725 – Cep: 83.820 - 000
Cense Foz Do Iguaçu
Diretor:Vandir Da Silva Soares
Assistente: Anderson Fernandes
Tel.: 45 – 3545-7300
Avenida General Meira, 1993 – Cep: 85.863 - 110
Cense Joana Miguel Richa
Diretora: Mariselni Vital Piva
Assistente: Joel Lourenço Schenoveber
Tel.: 41 – 3335-4145 / 3335-0082
Rua: Dom João Braga, 64 – Cep: 80.810 - 290
Cense Laranjeiras Do Sul
Diretor: Sônia Sueli Alves De Lima
Assistente: Rafael Lopatiuk Figueiredo
Tel.: 42 – 3635-8554
Avenida Dalmo Putini C/ Santos Dumont – Cep: 85.301 - 050
Cense Londrina 1
Diretor: Lázaro De Almeida Rosa
Assistente: Gilmar Ferreira
Tel.: 43 – 3336-6100 / 3337-1888
Rua: Joel Braz De Oliveira, 103 – Cep: 86.038 - 410
Cense Londrina 2
Diretor: Márcio Augusto Schimidt De Alencar
Assistente: Cristiano V. Paschoalinoto
Tel.: 43 – 3343-4687 / 3343-2418 / 3342-6902
Rodovia João A Da Rocha Loures, 5930 – Cep: 86.100 - 000
Cense Maringá
Diretor: Alex Sandro Da Silva
Assistente: Jaime Aparecido Dos Santos
Tel.: 44 – 3219 – 5200 / 3219 - 5215 (Diretor)– Fax: 3219 - 5210
Rua: Pioneiro Jerônimo Ribeiro, 1170 – Cep: 87.065 - 680
Cense Paranavaí
Diretor: Nilson Domingos
Assistente: Waldir Colli
Tel..: 44 – 3421 – 7400/ 3421 – 7402 (Fax)
Rua: Longuino E. Bonacznski, S/Nº – Cep: 87.700 - 000
Cense Pato Branco
Diretor: Márcio Luíz Soares Da Silva
Assistente: Anderson Niendcker
Tel.: 46 – 3224-2130
Rua: Xavante, 276 – Cep: 85.501 - 220
Cense Ponta Grossa
Diretor: Eleandro Roberto Nicola
Assistente: Nilson Luís Neneve
Tel.: 42 – 3235-2441 / 3235-2668
Rua: José Ferreira De Menezes, Lote 40 – Cep: 80.020 - 785
Cense Santo Antônio Da Platina
Diretor: Volnei Arno Bastian
Assistente: Luciano Lima Costa
Tel.: 43 – 3534- 8600/ 3534 - 8604
Rua: Laudelino Mascaro, 103 – Cep: 86.430 – 000
Cense São Francisco
Diretor: Tiago Barbosa De Souza
Assistente: Anfrisio Siqueira Neto
Tel.: 41 – 3673-2505 / 3673-2377
Avenida Brasília, S/Nº
Cense São José Dos Pinhais (em construção)
Diretor: Ronaldo Marafon
Assistente: Diogo Cesar Ribas De Souza
Tel:
Rua: Sebastiana Santana Fraga, 1100 – Cep 83060-500
Cense Toledo
Diretor: Sandro De Moraes
Assistente: Ary Cesar Borges Geraldeli
Tel.: 45 – 3379 -4500 – 3379 – 4507 (Direção)
Rua: Armando Luís Arosi, S/Nº – Cep: 85.901 - 020
Cense Umuarama
Diretor: Adilson José Dos Santos
Assistente: Mateus Fernando Silla
Tel.: 44 – 3639-1850  Fax: 3639-1862
Avenida Da Estação, 2530 – Cep: 87.503 - 020

Casas De Semiliberdades
Semiliberdade Cascavel
Diretora: Lidyana Soares Kelin
Tel.: 45 – 3224-7377
Avenida Comil, 1023 – Jd. Presidente – Cep: 85.818 – 110
Semiliberdade Curitiba
Diretor: Luciano Farias
Tel.: 41 – 3266-3161/ 8471 - 2679
Rua: Capitão Varassim, 4 – Capão Da Imbuia – Cep: 82.810 - 550
Semiliberdade Foz Do Iguaçu
Diretor: Rodrigo Marciano De Oliveira
Tel.: 45 – 3572-7817
Avenida General Meira, 1993 – Porto Meira – Cep: 85.863 – 110
Semiliberdade Joana Richa
Diretora: Simoneide Ereirap Fernandes
Tel.: 41 – 3339-0426 / 3339 – 3128 (Fax)
Rua: Dom João Braga, 65 – Mercês – Cep: 80.810 - 290
Semiliberdade Londrina
Diretor: Gilmar Bragantine Ferreira
Tel.: 43 – 3321-9564
Rua: Joel Brás De Oliveira, 85 – Jd. Pérola – Cep: 86.038 - 410
Semiliberdade Paranavai
Diretor: Leo Cleber Gabriel
Tel.:
Rua: Rotary (Antiga) Bela Vista, S/N - Jardim Novo Horizonte - Cep: 87.711-390
Semiliberdade Ponta Grossa
Diretor: Helton Luís Carneiro
Tel.: 42 – 3223-9540 / 3222-9910 / 9911- 2841
Rua: Miguel Calmon, 832 – Uvaranas – Cep: 84.025 - 330
Semiliberdade Umuarama
Diretora: Luciana Dos Reis Martins
Tel.:
Rua: Gralha Azul, 4674 – Cep 87500-000


.. E LEVOU-O A CASA DO SENHOR , EM SILÓ , E ERA O MENINO AINDA MUITO CRIANÇA.     1Samuel 1/24 b

RESOLUÇÃO 103/2011 TRABALHOS RELIGIOSOS NOS PRESÍDIOS DO ESTADO DO PARANÁ..

RESOLUÇÃO 203/ 2011 Todo detento tem direito a assistência religiosa pela constituição da República(Lei federal n° 9.982/2000) e confirmada por lei estadual n°13.137/2001 a qual assegura o direito a assistência religiosa no Paraná   
SEM CREDENCIAMENTO NINGUÉM PODE ENTRAR NAS UNIDADES

CREDENCIAL RELIGIOSA DO DEPEN (Igreja Missão Cristã)
Presidio PEP 1 (Piraquara)

Presidio Central Feminino Piraquara

Presidio Central Estadual

Colonia Penal Agroindustrial Piraquara
MOTIVO PELAS QUAIS AS IGREJAS PERDERAM SEU DIREITO DE REALIZAR OS TRABALHOS EVANGELISTICO
1) Quando o coordenador ou alguns dos membros venham a violar as normas ou disciplina interna das unidades.    
2) Em caso descumprimento da escala , é dizer quando a instituição faltar 4 ou 5 vezes sem justificativa.        
3)Fazer qualquer ato contraditório com o propósito inicial que é evangelizar, exemplo : apoiar ou fomentar rebeliões

RESOLUÇÁO ESTADUAL DA SECRETARIA DA JUSTIÇA ,CIDADANIA E DIREITOS HUMANOS.
  
RESOLUÇÃO 203/2011

VENHA PERANTE A TUA FACE O GEMIDO DOS PRESOS ...              Salmos 79/11

PRESÍDIOS DE CEARÁ , APENAS 12% DOS DETENTOS TRABALHAM.

As dificuldades do preso arrumar emprego já começam dentro do sistema penitenciário. O Ceará possui apenas 12,2% dos detentos trabalhando ou em alguma ocupação, de acordo com a Secretaria de Justiça (Sejus).
Dos 17.526 detentos (dados de dezembro de 2012), 409 trabalham dentro das unidades prisionais, 1.149 exercem trabalho externo e 633 são atendidos por projetos conveniados da Sejus com empresas e órgãos públicos, totalizando 2.191 internos com alguma ocupação. “São atividades diversas, que vão desde serviços gerais e manutenção das unidades até projetos externos, como limpeza de parques, fabricação de semijoias e reciclagem”, explica a assessoria.
Apesar dos números, conforme o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), até junho do ano passado, o Ceará era o segundo estado brasileiro com menor índice de presos trabalhando. Dos 18.304, na época, apenas 554 trabalhavam.
Enquanto a média nacional de presos é de 20%, o Ceará tinha apenas 3% da população carcerária trabalhando ou exercendo alguma atividade de laborterapia (capacitação que envolve atividade produtiva).
Confira outros dados:
Arte
Unidades penitenciárias estão superlotadas (ARTE: Luana Araújo)
Número vergonhoso
O baixo índice de presos que têm alguma ocupação nos presídios do Ceará é vergonhoso, de acordo com o sociólogo Fran Yan Tavares. “O Estado tem uma política pública bem abaixo do esperado. Por conta disso, a gente se depara com um problema grandioso”.
De acordo com Tavares, ao cumprir uma pena, o detento não está sendo qualificadonem preparado para se ressocializar. “Os presídios se tornam uma escola do crime, porque o detento sai sem nenhuma perspectiva, da mesma forma que ele foi tratado quando ainda estava preso. É como se ficasse marcado na pele, como uma tatuagem, que ele já esteve na cadeia”.
Para minimizar o problema, o sociólogo afirma que é preciso qualificar a população carcerária. “Parece que o problema de alguém cometer um crime só é resolvido prendendo o criminoso e pronto. Mas não é bem assim, o Estado tem de investir na ressocialização do preso. Ele já custa caro, mas a verba alta não é bem utilizada”, afirma.
Os direitos
Conforme a Constituição Federal, todos os detentos têm direito a trabalhar. A atividade laboral permite diminuir o tempo de duração da sentença. A contagem do tempo para a liberdade é feita em razão de um dia de pena por três de trabalho; e ele recebe, no mínimo, ¾ do salário mínimo.

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS.....    Hebreus 13/3

sábado, 24 de agosto de 2013

SOBE PARA 31 0 NÚMERO DE MORTOS DURANTE CONFLITO EM PRESÍDIO DA BOLÍVIA.

A morte, neste sábado (24), de outro presidiário por graves queimaduras aumentou para 31 o número de vítimas em um conflito ocorrido na sexta-feira (23) entre dois grupos de uma prisão da cidade boliviana de Santa Cruz, informou o ministro de Governo, Carlos Romero.
O enfrentamento, aparentemente por disputa de poder, aconteceu de madrugada em Chonchocorito, o setor de segurança máxima da penitenciária da cidade de Santa Cruz. Há outros 37 feridos em estado grave nos hospitais da cidade, a maioria com graves queimaduras, que em alguns casos abrangem entre 60% e 90% de seus corpos, afirmaram os meios de comunicação.
A maioria dos detentos morreram carbonizados depois que seus agressores explodiram dois bujões de gás e usaram outros como lança-chamas para provocar intoxicações. Os prisioneiros também atacaram seus rivais com facas, pedaços de madeira e, possivelmente, com armas de fogo, uma vez que no local do conflito foram encontradas cápsulas de projétil de balas.
Entre os mortos está uma criança de um ano e meio que seria uma das dezenas de menores que vivem no local com seus pais, uma prática aceita nas prisões da Bolívia quando os menores não têm outros familiares que os acolham. 

BEM AVENTURADO OS PACIFICADORES , PORQUE ELES SERÃO CHAMADOS FILHOS DE DEUS.     Mateus 5/9

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

DETENTOS DE S. J. DOS PINHAIS NO PARANÁ RECEBEM O DIPLOMA PELO CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA .

Na tarde da sexta-feira (28) de julho a Prefeitura Municipal, através da Secretaria de Trabalho, Emprego e Economia Solidária, realizou a entrega dos Certificados de Conclusão do Curso de Informática Básica com Internet e Mídias Sociais aos internos da Casa de Custódia do município. O curso foi realizado através do Programa Senac Gratuidade.
Mais de 30 formandos participaram do curso que teve duração de 160 horas . As aulas eram monitoradas pelos agentes penitenciários e aconteciam uma vez por semana, nas sextas-feiras. A Prefeitura Municipal ofereceu os equipamentos que eram utilizados no projeto.
“Hoje nós estamos entregando aqui mais do que um diploma. Estamos entregando esperança e novas perspectivas profissionais, para o dia que estes jovens que estão aqui, em situação provisória, voltarem para o convívio em sociedade, estejam mais capacitados”, disse o vice-prefeito Toninho da Farmácia.
O diretor de Estabelecimento Penal, Adriano de Souza Rodrigues, ressaltou a importância do Programa. “O papel fundamental desta ação é a re-socialização dos internos. Oferecer estes cursos, dando a eles uma oportunidade de qualificação faz com que o retorno deles para casa seja mais fácil”.
Durante a sua fala aos internos, o Secretário de Trabalho, Emprego e Economia Solidária, Miguel Ferreira de Paula, disse: “A nossa Secretaria Municipal de Trabalho e a nossa agência do Trabalhador, estão sempre de portas abertas para receber e ajudar pessoas que buscam qualificação profissional, melhoria de vida e oportunidades de trabalho, independentemente da situação em que elas se encontram”.
Também estavam presentes no evento o diretor assistente de estabelecimento penal, Luiz Aguilar Benevenuto, o chefe de segurança, Jefferson Pires, o representante da divisão de produção (DIPRO), Boanerges Boeno Filho, o responsável pela informática Erickson de Lima, o chefe da DIOQ, Emerson Rodrigues e as representantes da Coordenação de Educação e Qualificação Profissional PDI-Cidadania, Ana Rita Bortolozzo e Eliz de Freitas.

E DISSE TAMBÉM ESTA PARÁBOLA A UNS QUE CONFIAVAM EM SI MESMO , CRENDO QUE ERAM JUSTOS , E DESPREZAVAM OS OUTROS:                Lucas 18/9

terça-feira, 20 de agosto de 2013

PROFESSOR DE CEARÁ E CONDENADO A SEIS ANOS DE PRISÃO POR VAZAMENTO DE PROVA DO ENEM 2011.

A Justiça Federal no Ceará condenou a seis anos de prisão o professor Jahilton José Motta, do Colégio Christus, pelo vazamento de 14 questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2011. Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, as questões foram divulgadas aos alunos do colégio durante um pré-teste do Enem, uma semana antes do exame.
A decisão foi proferida pelo juiz federal, titular da 11ª Vara Federal, Danilo Fontenelle Sampaio. A sentença atribuiu quatro anos de reclusão, mais pagamento de multa pelo comprometimento de conteúdo sigiloso de concursos públicos ou processos seletivos para ingresso no ensino superior. Os outros dois anos são por crime de estelionato - por obter para si vantagem ilícita em prejuízo a outrem -, mais multa. Ao todo, o professor foi condenado a pagar 400 salários mínimos, sendo 200 para cada crime.
Na decisão, o juiz entendeu: "São veementes os indícios de que o professor Jahilton inimamente sabia da origem de tais elementos, até porque questões elaboradas tecnicamente não caem do céu ou eclodem do inferno, e muito menos vão parar inexplicavelmente justamente na mesa de uma pessoa que ocupa o cargo de coordenador pedagógico de um colégio caracterizado pela necessidade de aferição positiva dos seus alunos em certames".
O juiz vai além, "ademais, nenhum professor de respeito distribui questões aos alunos sem verificar a exatidão de suas formulações e a correção dos gabaritos. Pode-se verificar, assim, indícios que Jahilton teve tempo de analisar as ditas questões".
Segundo Sampaio, a conduta foi grave, porque ocasionou transtornos a diversos alunos em todo o Brasil e à própria administração pública federal. Após a intimação, Motta poderá recorrer ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região em liberdade. O Colégio Christus foi procurado, mas não se posicionou até o fechamento da matéria.
O inquérito policial para apurar a autoria do vazamento de questões da prova do Enem foi instaurado em outubro de 2011. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF) no Ceará, foi constatado que alunos do Colégio Christus, de Fortaleza, tiveram acesso antecipado a questões que faziam parte do exame. As questões vazaram da fase de pré-testes, da qual a escola participou em outubro de 2010. Motta está entre as cinco pessoas que foram denunciadas pelo MPF

PORQUE OS MAGISTRADOS NÃO SÃO TERROR PARA AS BOAS OBRAS ,MAS PARA AS MÁS....
                              Romanos 13/3 a

EVANGELISMO EM PRESÍDIOS : A RECOMPENSA VEM DO SENHOR!!

A alegria de evangelizar presídios esconde as enormes dificuldades que representa a  ida para o presídio.
A equipe conta com uma pequena caixa de som e um microfone como equipamento para a realização dos cultos evangelísticos, os quais na maioria dos lugares são realizados nos corredores das galerias dos presídios.
A viagem se inicia no Bairro do Sitio Cercado, em Curitiba  onde esta a sede dos trabalhos da Igreja Missão Cristã e durante mais de duas horas enfrentam quatro linhas de ônibus lotados para chegar até Piraquara na região metropolitana onde se encontra o maior complexo prisional do Paraná.
Como durante a semana não tem ônibus que chegue até o portão principal do complexo é necessário terminar a parte final da viagem de táxi.

No Paraná educandários , presídios e delegacias são administrados por diferentes secretarias : Ação social , Justiça e Segurança respectivamente o que faz mais dificultoso o credenciamento e locomoção das equipes de evangelismo nas unidades.
 

Logo ao passar pelas diferentes portarias , revistas e aparelho de scanners Pr Hugo e equipe entram na unidade onde os detentos, ou detentas, esperam ansiosos o momento do louvor, da palavra e da oração em seu favor.

Lágrimas correm pelo rosto dos detentos ao sentir Deus os chamando para uma nova vida , muitos entregam suas vidas para Jesus Cristo, se arrependendo dos seus pecados, e são agora conhecedores  do plano de salvação em Cristo.
A satisfação da missão cumprida faz esquecer as duas horas e meia de viagem  em ônibus lotados carregando a pequena caixa de som até a volta do lar amado.



O QUAL RECOMPENSARÁ CADA UM SEGUNDO AS SUAS OBRAS ....  Romanos 2/6