.:GESE:.: Outubro 2015

Adicionado 13/07/2012

sábado, 31 de outubro de 2015

COMPLEXO MEDICO PENAL PARANÁ : AQUI ESTÃO PRESOS OS ACUSADOS DA OPERAÇÃO "LAVA JATO"




O presídio tem capacidade para cerca de 700 detentos e, atualmente, este é o número de presos no local. O Complexo Médico-Legal recebe os doentes que precisam de internamento, os idosos e as gestantes do sistema prisional. Além disso, policiais e agentes penitenciários presos e detentos com curso superior também podem ficar no local. As informações são da Sesp.O complexo possui três partes. Uma delas é onde os presos recebem tratamento médico e uma a segunda é destinada a pacientes que necessitam de cuidados psiquiátricos.




Endereço: Av. Ivone Pimentel –Cx.P. 121 - Canguiri CEP 83420-000 QUATRO BARRAS - PR
Fone: (41) 3661-3000 / 3661-3003
Fax: (41) 3661-3014
Diretor(a) Estabelecimento Penal: ROBERTO DA CUNHA SARAIVA
Assistente Estabelecimento Penal: GILMAR AFONSO KAMINSKI
Diretor Clínico: ROSELY BASTOS MANFREDINI
Pedagoga da Unidade: Lucimara Vidolin
Pastor Hugo Chavez trabalha na recuperação de pessoas privadas da liberdade no Paraná mediante a palavra de Deus . Orem pelas 12 unidades alcançadas todo mês e os 10.000 internos evangelizados .















Não importa o que eles cometeram , eles precisam de Deus , nós estamos semeando a palavra no seu coração !!!   AJUDE-NOS A CONTINUAR COM ESTA OBRA !!!      (Pastor Hugo e equipe visita várias unidades no Paraná)



 O espírito do Senhor DEUS está sobre mim; porque o SENHOR me ungiu, para pregar boas novas aos mansos; enviou-me a restaurar os contritos de coração, a proclamar liberdade aos cativos, e a abertura de prisão aos presos;        ISAIAS 61/1

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

PENITENCIÁRIA FEMININA DE PIRAQUARA RECEBE A VISITA DE REPRESENTANTES DO GOVERNO DE PANAMÁ.

Na última semana, o Complexo Penitenciário de Piraquara, recebeu dois visitantes do Panamá que vieram conhecer as boas práticas de iniciação e qualificação profissional que são desenvolvidas no sistema prisional do Paraná, em parceria com o SENAI.

Os representantes do Governo Panamenho, Luis Carlos Rodrigues Burgos e Loyda Noemi Arosemena, juntamente com os representantes da equipe Aliança Estratégica do SENAI, Rafael Teixeira Asinelli e Jocimara Alves Pereira, tiveram a oportunidade de conhecer as ações de educação ofertadas às mulheres privadas de liberdade da Penitenciária Feminina do Paraná (PFP). 


A diretora da unidade, Rita de Cássia Rodrigues Costa Naumann, falou da importância da parceria para oferta dos cursos de qualificação profissional na PFP, “as atividades educacionais e de trabalho só ocorrem porque a equipe está afinada, compreendendo cada um o seu papel dentro daquilo que é possível fazer”, ressalta. 

Os visitantes também conheceram o canteiro de trabalho que fabrica uniformes para agentes penitenciários e presos, o qual só foi possível ser implantado, por meio da oferta dos cursos de Confecção, ministrados pelos programas O Caminho da Profissão e PRONATEC, ambos ofertados pelo SENAI.

A Coordenadora de Educação do Departamento de Execução Penal do Paraná (Depen), Glacélia Quadros, apresentou as ações educacionais ofertadas no sistema prisional do Paraná, como a Educação Básica, em parceria com a Secretaria da Educação (SEED), o Projeto de Remição de Pena pelo Estudo através da Leitura, além das ações em arte, cultura e esporte, detalhando o desenvolvimento da oferta de qualificação profissional nos estabelecimentos penais. 

De acordo com a coordenadora, essa parceria possibilitou que 27.762 pessoas privadas de liberdade fossem certificadas nos cursos profissionalizantes ofertados pelo SENAI, nas modalidades presencial e a distância. "O SENAI é um importante parceiro do DEPEN na qualificação profissional daqueles que buscam uma nova oportunidade na reintegração social e no resgate da cidadania”, afirma Glacélia.

Para a visitante estrangeira a organização e as ações que propiciam a ressocialização são impressionantes. Em conversa com as presas da PFP, Loyda Noemi Arosemena, contou que no Panamá os desafios na área penal são grandes. "Valorizem o que estão recebendo. É um privilégio poder estudar e trabalhar no sistema prisional. Isto não acontece na maioria das prisões. No Panamá não temos nada semelhante ao que vimos aqui", aconselha.

Segundo Jocimara Alves Pereira, integrante da equipe do SENAI, que acompanhou toda a visita ao Complexo, é gratificante conhecer os desdobramentos que o curso proporciona nas unidades penais. “Diante do que presenciamos, vamos nos desdobrar para que o sistema prisional continue a receber mais cursos profissionalizantes”, destaca.

Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
Mateus 25:36


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

COMO CHEGO AO COMPLEXO PENAL DE PIRAQUARA DE ÔNIBUS ?



Como chegar às Unidades Penais de Piraquara: (PCE/ PFP/ PEP/ PEP II / CPAI / CCP e PCEF)

Poderá chegar até o terminal de ônibus da cidade de PINHAIS. Embarcar no alimentador para Vila MACEDO, desce no ponto final e pega táxi até a entrada da PCE.


No terminal de ônibus da cidade de PIRAQUARA as linhas de ônibus diretas ao Complexo Penal são restritas. Mas de Curitiba é possível utilizar os ônibus que levam até o terminal da cidade de Piraquara e usar serviços de táxi. (Parada de Ônibus de Curitiba a Piraquara na Praça Santos Andrade em frente ao Teatro Guaira). 



LINHA PRESIDIO / PLANTA DEODORO

De segunda a sexta-feira no terminal de Piraquara: horários: 9:52 e 13:45hs. .
Sábados e domingos do terminal de Piraquara: horários: 9:30, 14:20 e 17hs.
Sábados e domingos da PCE tem um circular com funcionamento das 7 as 18:30hs. que leva os usuários do Complexo Penal até o ponto do Vila Macedo. Telefone da empresa para maiores informações: 3673- 2277.
 Pastor Hugo Chavez trabalha na recuperação de presidiários mediante a palavra de Deus e ação social .













 Ajude o Pastor Hugo a continuar trabalhando na recuperação dos encarcerados no Estado do Paraná.

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS .....    Hebreus 13/3

sábado, 24 de outubro de 2015

COMPLEXO PRISIONAL DA PAPUDA (BRASILIA).


Complexo Penitenciário da Papuda é um complexo formado por 5 presídios (CDP, CIR, PDF I, PDF II e provisoriamente Penitenciária Federal) situado na região administrativa de São Sebastião, no Distrito Federal, às margens da estrada que liga a capital federal, Brasília, ao município mineiro de Unaí. O presídio da Papuda tem capacidade para 5000 detentos.
Seu nome refere-se à antiga fazenda, onde vivia uma mulher portadora de deformidade física - provavelmente bócio. A área foi desapropriada para abrigar o presídio, inaugurado em 16 de janeiro de 1979. Na época destinava-se a receber 240 presos. Atualmente é formado por 5 presídios, que abrigam milhares de presos.

    Endereço: Rua Sam Sec Seg Pública, Conjunta A, Bloco E, s/n, Brasília - DF, 70620-000
    Telefone:(61) 3335-9800
 Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.       Mateus 25/36

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

ENEM 2015 NOS PRESÍDIOS SERÁ NOS DIAS 1° E 2 DE DEZEMBRO .


As inscrições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para os candidatos privados de liberdade e jovens que cumprem medidas socioeducativas começam a partir das 10h do dia 1 de outubro e vão até as 23h59 (horário de Brasília) do dia 23 de outubro. O edital do Ministério da Educação foi publicado na terça-feira (29) no Diário Oficial da União
As provas serão aplicadas nos dias 1 e 2 de dezembro nas unidades prisionais e socioe-ducativas que tenham firmado termo de adesão no Inep.
As inscrições devem ser feitas pelos responsáveis pedagógicos de cada unidade no endereço eletrônico http://sistemasespeciais.inep.gov.br/unidadesprisionais.

LEMBRAI-VOS DOS PRESOS ........   Hebreus 13/3

PROFESSORES DA BAHIA ENXERGAM OS PRESIDIÁRIOS COMO ESTUDANTES E NÃO COMO CRIMINOSOS .


Cadeados e grades têm sido abertos diariamente para que a educação possa entrar e proporcionar transformações para as 1345 pessoas (60% delas com idade abaixo de 30 anos) que perderam a liberdade por um erro no passado. De segunda a sexta-feira, sempre nos três turnos, professores da rede estadual de ensino ministram aulas para os presos no local e, indiretamente, oferecem oportunidade para quem deseja levar uma nova vida. A cada 12 horas de estudo, o detento reduz um dia da pena.
“O interno vai cumprir pena e um dia vai voltar à sociedade e precisa estar regenerado. A unidade prisional tem como objetivo trabalhar esse preso para que ele se recupere e se capacite para ficar apto a conviver com outras pessoas em liberdade. A educação é uma forma de dar ferramentas para a pessoa ter uma vida normal quando deixar a prisão”, explicou o diretor da Penitenciária Lemos Brito, Everaldo Jesus de Carvalho.
Os encontros contemplam a educação básica e profissional por meio de programas como o Todos Pela Alfabetização (TOPA), Ensino de Jovens e Adultos (EJA), o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e o QualificaBahia. As aulas, que também acontecem nas outras 22 unidades prisionais espalhadas pelo território baiano, contribuíram para a preparação dos 634 presos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no final do ano passado. Do total, 62 internos foram aprovados, sendo quatro da PLB, que teve 36 inscritos no Enem.
Walter Moreira, 38, foi um dos aprovados no exame. Ele já cumpriu um quarto da pena de 16 anos, e segue obtendo resultados surpreendentes na penitenciária. Atualmente, o interno trabalha como estoquista na padaria administrada por presos no complexo, e aguarda a mudança de regime fechado para semi-aberto para ingressar na faculdade. “A educação é transformadora. Quando cheguei aqui não tinha concluído o ensino médio e levei um tempo para perceber que mesmo preso teria uma chance de recomeçar. Abracei essa oportunidade e com o apoio dos professores consegui alguns resultados, como a aprovação no Enem e a promoção na padaria, de auxiliar de serviços gerais para estoquista”, enfatizou Walter.
A experiência de transmitir conteúdo para os detentos fez com que professores, como Hermano Hoisel, passassem a enxergar a vida de uma nova maneira. O educador ensina sociologia na Lemos Brito há pouco mais de um ano, no turno vespertino. “Esse tipo de experiência me fez desfazer alguns preconceitos. Passei a enxergar essas pessoas como estudantes e não como criminosos”, pontuou.No estado, a população carcerária totaliza 12,8 mil detentos – 691 deles têm apenas nível fundamental completo, e mais de dez mil são semi-alfabetizados ou possuem ensino fundamental e médio incompletos. Para intensificar as ações sociais em presídios, no próximo ano a Bahia deve adotar o Plano Estadual de Educação no Sistema Prisional. O projeto, que já vem sendo desenvolvido no estado pela Secretaria de Educação, em parceria com a Seap, será aprimorado com as sugestões e ressalvas feitas pela população por meio de uma consulta pública realizada entre os dias 17 e 27 de agosto.
A educação em unidades prisionais amplia horizontes de pessoas, muitas vezes, invisíveis para a sociedade.De acordo com o superintendente de Ressocialização Sustentável da Secretaria de Administração Penitenciária da Bahia (Seap), Luis Antônio Fonseca, a educação é um dos eixos garantidos pela Lei de Execução Penal, que também inclui assistências sociais e suporte para a saúde e religião dos presos. “É nosso papel devolver o indivíduo melhor à sociedade. Já tivemos muitos casos de pessoas que completaram os estudos em cárcere privado e que hoje, já em liberdade, levam uma vida normal. A gente sabe que ainda existe o preconceito com ex-presidiários, mas, através da educação, fica mais fácil a inclusão social”, ressaltou Fonseca.
LEMBRAI-VOS DOS PRESOS ...............    Hebreus 13/3

MULHER GANHA FILHA DENTRO DO PRESÍDIO ENQUANTO VISITAVA SEU COMPANHEIRO .



Uma mulher deu à luz no Conjunto Penal de Teixeira de Freitas, cidade localizada no sul da Bahia, enquanto visitava o companheiro que está preso no local. O caso ocorreu na tarde domingo (13) de setembro.
De acordo com informações da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização (Seap), Graziele Martins visitava o companheiro, quando às 15h30 começou a sentir as dores do parto. O Serviço de Atendimento de Móvel de Urgência (Samu) foi acionado, mas o bebê, uma menina, nasceu antes da ambulância chegar.
Três agentes penitenciários prestaram atendimento à mulher e realizaram o parto. Mãe e bebê foram levados para a maternidade do hospital municipal de Teixeira de Freitas, entretanto o estado de saúde deles não foi divulgado pela unidade de saúde.
Segundo a Seap, o pai do bebê está preso desde 2013, contudo a secretaria não soube informar por qual crime ele está detido.

 Louvai ao SENHOR, porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre.       SALMOS 136/ 1

segunda-feira, 19 de outubro de 2015

CASAMENTO COLETIVO EM PRESÍDIO DE PERNAMBUCO .


O Presídio Juiz Luiz Lins de Barros - PJALLB, no complexo do curado, realizou uma cerimônia de casamento coletivo no dia (09) deste mês. O evento foi celebrado pela Igreja Batista Independente Obreiros de Cristo, sob a coordenação do Presbítero Marcos André Oliveira Lima. Ao todo, seis casais participaram da cerimônia, em que estavam presentes familiares e amigos dos noivos. Mais que um ato de união e construção familiar,o casamento possibilita integrar a família de forma mais presente na ressocialização dos reeducandos. O evento foi organizado pelo diretor da unidade, José Sidnei de Souza e demais agentes penitenciários. 

Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do SENHOR.
PROVÉRBIOS 18/22